Quarta-feira, 9 de Dezembro de 2009

Criança na noite de naufrágio

Criança, em noite de naufrágio
Era por volta das duas ou três horas da manha
Não posso definir muito bem, porque naquele tempo
Não tinha relógio e o tempo para mim não contava,
Sei que era de noite e estava assustado, porque ouvia gritos por todo lado,
Eu também não sei muito bem que mês era, mas penso que devia ser Fevereiro.
Sim porque eu tinha apenas, cinco aninhos, era (um bebé), e essas memórias ficaram gravadas na minha mente.
Tudo quanto me lembro, eram gritos de desespero por todo canto da terra.
Fui acordado pelos gritos, fiquei traumatizado para vida e ainda hoje ouço aqueles gritos de aflição.
Passando umas horas para saber o que se tinha passado…
Eu como criança levei anos e de vez enquanto perguntava a minha mãe.
Porque para uma criança como eu, pensava que o mundo ia acabar. Nem imaginava nada de nada, não pensava que havia algo tão grande, no universo. Referia-me e queria perguntar
Queria saber, queria calar aqueles gritos que me matavam o coração de tristeza, e também comecei a chorar com Coração, sem saber a razão!
Seria compaixão seria medo, devia ser tudo junto que aflição.
Olhava para o lado para me agarrar a alguém, todo mundo tinha desaparecido da minha beira!
Onde estavam todos eles, porque me tinham deixado sozinho no meio daqueles gritos, só ouvia assim em voz bem alta.
“Morreu tudo… Meu Deus morreu tudo”
imaginem para uma criança da minha idade, sozinha no meio dos gritos! Que sentiria?
Como ficou a minha mente?
Quanto tempo levou para tentar recuperar… Muito, porque ainda hoje ouço esses gritos.
O que se tinha passado, foi que os pescadores da sardinha tinham saído para a faina da pesca no mês de Fevereiro mais ao menos, não estou lembrado que mês era ao certo, mas um mês rigoroso de inverno e só pode ser Fevereiro.
Como sabem os pescadores antigamente iam para faina nos barcos de boca aberta (barcos sem caixa de ar) em caso de se virarem fica voltado e nunca volta aposição normal,
Por outras palavras (de pernas para o ar) assim e nunca mais voltaria a posição normal. O barco era tipo, ou seja igual a lancha Poveira, mas em ponto mais pequeno, sem motor. Somente com os remos e a vela, e linhas de pesca e com redes da sardinha de malhar.
Era assim que eles tentavam matar a fome aos seus familiares, nesse tempo de fome.
Chamo-lhe no tempo de quem tinha um olho era rei.
Voltando ao termo da conversa, tinham saído para o mar e o temporal os tinham apanhado de surpresa em quanto pescavam e muitos ficaram lá para sempre.
Deus tenha compaixão pelas suas almas, porque por mim jamais serão esquecidos sendo também um homem do mar.
Espero que entendam, não sou escritor nem poeta, se por acaso a leitura não estiver bem ao gosto dos leitores me desculpem.
Aqui também quero chamar atenção, não só ao naufrágio… Como ter em conta não gritarem com as crianças e nunca deixa-las sós em caso algum…
Obrigado um abraço pescador
Jimmy o pescador

 

sinto-me: marcado
publicado por marinheirojimmy às 19:21
link do post | favorito
Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

.mais sobre mim

.Arte de Marinheiro







.Maio 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. Quadros em alto relevo do...

. porta-chaves de arte de m...

. Arte de marinheiro em alt...

. Artista & Pescador

. Acessórios de Moda-Nós de...

. Assim se faz no mar do No...

. Pescadores precisam-se.

. Oferta de Emprego para Ma...

. Sailing in the seas of In...

. DIA DA MARINHA, PORTUGUES...

.arquivos

. Maio 2018

. Abril 2018

. Outubro 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Janeiro 2017

. Outubro 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Fevereiro 2016

. Dezembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Julho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Dezembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009