Quinta-feira, 2 de Junho de 2011

Tuka sardinheiro

Tuka Bem Aventurado é um barco de pesca dos mais pequenos da sardinha

depois dos Jagunços, a seguir são as traineiras,

este barco trabalha com um tripulação a volta de dez pescadores, enquanto os outros ,

ou seja o Jagunço tem um tripulação a volta de vinte pescadores, e assim são as traineiras

a diferença é somente o comprimento da embarcação.

 

Verificando a rede para pesca.

Jimmy o Marinheiro

 

publicado por marinheirojimmy às 13:01
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 31 de Maio de 2011

Traineiras da Pesca da Sardinha

 

Traneira da sardinha, Poveira

  

 

Depois da descarga, esperam as horas para partida para o mar novamente.

 

Chegada da pesca da Sardinha

 

Passando a rede da ré para proa para repararem avaria

publicado por marinheirojimmy às 13:38
link do post | comentar | favorito
Domingo, 29 de Maio de 2011

Traineiras da Sardinha

Depois da chegada tempo para reparar as redes de alguma avaria feita quando da largada as redes ao mar, quando se tenta cercar as sardinhas.

 

Quando os cardumes estão misturados com os carapaus e cavala e sardinha tens que ser apartado para ter uma venda melhor, e é assim depois de uma longa noite de trabalho ainda quando chegam a terra tem que ser apartado peixe por peixe.   

 

Assim como podem ver em cima é uma ((tintureira)), que pertencendo a família dos tubarões, também como cavala e carapau como sardinha.

Para apartar.

desejando uma boa semana de pesca para estes pescadores, boa pesca e bom regresso, com muita pesca.

Jimmy o Marinheiro

publicado por marinheirojimmy às 22:21
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sábado, 28 de Maio de 2011

Pesca da Sardinha

 

Olá aqui está uma foto de um pescador reparando as redes do barco

Enquanto uns descarregam o peixe outros reparam as redes de algum buraco ou seja de partida essa rede que seja feito.

Imaginem o quanto custa estar horas a fio assim nesta posição atando as redes no fim do dia não pode mover o pescoço, mas assim é a vida, somente um exemplo de um trabalho da pesca…   

 

Preparando para apartar a sardinha do carapau e cavala.

Para o peixe ou seja a sardinha ter mais valor.   

 

Agora é como vocês vê os pescadores usam estes tanques para proteger a sardinha a ficar mais fresca no caso se for apanhada ao principio da noite, para se conservar fresca ate a venda da manha.

 

Este pequeno barco , que os pescadores chamam de chalandra serve para segurar a ponta da rede em quando o barco cerca cardume da sardinha, e depois entrega ao barco para fechar o cerco…   

feliz fim de semana.

Jimmy o Marinheiro

publicado por marinheirojimmy às 13:30
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 26 de Maio de 2011

Regresso da pesca da sardinha

 

na volta da pesca da Sardinha

 

Depois da faina de volta ao porto de abrigo,

assim mais uma noite de Labuta

no nosso mar.

 

Enviando a pescaria da noite de faina, para lota, para ser vendida,antigamente

era por bordão, hoje é tudo por meio de gruas carros do tipo   Empilhadores que

levam o pescado dos sardinheiros para venda mudam-se os tempo muda-se a historia...

 

 

Empilhadores tipo carrinho para levar o pescado para lota,

Aqui fica e estas lindas imagens como lhes tinha prometido

 Autor-Jimmy Marinheiro

publicado por marinheirojimmy às 21:24
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Segunda-feira, 18 de Abril de 2011

Micéu regresso da Pesca

assim se pescava antigamente, na fome com fartura de sardinha,

no tempo das fabricas conserveiras, em Matosinhos,

está traineira da sardinha, era gorvernada pelo Sr. mestre Augusto.

no porto de Leixões.

aqui lhes deixo está linda recordação.

 

e  Homenagem ao Mestre Augusto.

 

autor- Jimmy o Marinheiro

publicado por marinheirojimmy às 20:13
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito
Quinta-feira, 7 de Abril de 2011

Barco pronto para nova Época

aqui está esta foto, de um barco,em reparação para uma safra de pesca

pintado, fica como novo.

Jimmy O Marinheiro

publicado por marinheirojimmy às 08:22
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 9 de Dezembro de 2010

Virgem Dolorosa a navegar em Sesimbra

 

Aqui está este barco de pesca da sardinha (traineira)

Virgem Dolorosa a navegar em Sesimbra

Uma foto muito linda

Daqui envio um abraço ao Miguel

E muita boa sorte na faina da pesca

Jimmy o marinheiro

foto tirado do site http://olhares.aeiou.pt/sesimbra_foto4347424.html OLHARES http://olhares.aeiou.pt/ autor da foto da virgem dolorosa obrigado Miguel
publicado por marinheirojimmy às 22:57
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
Quinta-feira, 10 de Junho de 2010

Pesca da Sardinha

Olá amigos e amigas como o prometido é devido, aqui estou eu para dar a explicação

Ao fim de a sardinha ir para farinha,

Nos dias de hoje os barcos da sardinha ou sejam (traineiras) tem uma cota (quantidade de apanha) como por exemplo cada barco pode pescar 500 cabazes de sardinha, suponhamos que sejam Três toneladas por cada barco, e como todos eles apanharam sua cota o peixe não tem saída ou seja compradores ou esvaziamento de venda, então a fabrica da farinha fica com o que resta a um bom preço, ou também acontece os pescadores vão deitar o resto do peixe ao mar, é isto que acontece quando há muita sardinha.

Espero que tenha sido tudo explicado,

Porque muita das vezes mesmo havendo muita sardinha o preço será o mesmo

 Eles preferem enviar ao mar do que dar, par ao que o preço não baixe

Esta é a vida de quem trabalha no mar, porque há sempre um monopólio a controlar isto.

Jimmy o Marinheiro

publicado por marinheirojimmy às 04:35
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Sexta-feira, 4 de Junho de 2010

Salva-Vidas do porto de Povoa de Varzim

Salva-vidas

Fé em deus -Lancha Poveira

Réplica de barco de

pesca poveiro

Que usada para pesca de linha, e redes de sardinha, para faina de pesca. Era a sobrevivência de muitas famílias nesse tempo de vida difícil.

Agora temos tudo mas não há peixe, se há peixe a mais vai par ao lixo, ou seja para farinha, como o que acontece com a sardinha.

Autor-Jimmy o Marinheiro

 

publicado por marinheirojimmy às 04:19
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Quarta-feira, 16 de Dezembro de 2009

Filho de Pescador

 

 

Filho de pescador

Eu tinha, aproximadamente, mais ou menos seis anos.

Eu tinha acabado de entrar para escola em Matosinhos,

Chamada Fenatte,

perto da igreja do senhor de Matosinhos.

Como eu era feliz nesse tempo,

Sem dinheiro, também se consegue ser feliz.

Na inocência da idade, lembro-me e muito bem da minha mãe comprar roupa em segunda mão, nesse tempo

 comprou-me um sobretudo, assim eu ir agasalhado para escola e encobrir o resto,  como nunca,  fui muito exigente, eu ficava feliz com muito pouco nessa ocasião  lembro-me que eu tinha sobretudo mas não tinha sapatos, estão a ver o pagode, eu de sobretudo com tamancos lol., era a vida naquele tempo se havia para a barriga tinha-mos de dar graça a Deus por isso nunca eu passei fome.

Lembro-me de brincar aos índios,aquilo ali era pinheiros e silvas,e nós miudos iamos para  ali brincar,tambem foi quando apareceu as primeiras televisões da epoca,eu e os meus amigos iamos para as montras do Café Caravela ver esses filmes, era o tempo do Rin-Tim-Tim, era o ponto de encontro da brincadeira. onde é agora o  Estádio do Mar (Leixões)que está em meu coração, o velho estado do Santana (Leixões) era ali onde é atualmente Câmara de Matosinhos.

Lembro-me muito bem, que traineiras da sardinha paravam uma noite por semana, em que os pescadores eram a ferro e fogo, quem fosse doente não sobrevivam porque eu costumo dizer:

Era a lei do mais forte, nos dias de hoje era uma escravidão, em comparação.

Porque hoje em dia temos máquinas para tudo ou quase tudo!

Imaginem vocês descarregar por exemplo de 500 a mil cabazes de sardinha ou carapau ou cabala

Cada cabaz devia pesar por volta entre a 15 a 20 quilos, as vezes logo pela manha cedo, (diz-me quem és tu, que eu digo quem sou eu) esta frase é um provérbio dos pescadores, quer dizer:

Não dar parte de fraco.

Por vezes o mar era bravo, os homens ficam entre os barcos esmagados, e com penas partidas tudo podia acontecer,isto para apanhar a lota. Ou seja, o melhor preço, na maioria das vezes não tinham tempo de tomar uma chávena de café, imaginem uma noite toda a lançar as redes e (alar)puxa-las á mão e depois andar na descarga do peixe; como aqueles homens aguentavam, pareciam homens de outro mundo, de diferente estrutura. Quando caiam na cama ou no chão, onde dormirão  vezes sem contar o tempo, era como se fossem anestesiados. Descalços com os bordões ás costas,horas e  horas a fio, na maioria da vezes tinham de puxar as redes de ponta a ponta para ver e reparar; e  muitas vezes( era aviar e andar), era assim, que se acabava de descarregar os barcos.

 O mestre dava meia hora ou uma hora, para os pescadores arranjarem umas sandes e partirem  novamente para faina.

Como era dura essa vida, não havia outra escolha, porque o presidente Salazar não deixava emigrar.

O ponto de emigração era o porto de Matosinhos, o do Algarve até ao Minho. E trabalhavam

Por safras, entre Abril a Janeiro era quando (amarravam) os barcos era o defeso parava a faina,

Sim terra de muitas recordações a vila de Matosinhos hoje cidade com grande mérito…

Aqui fica mais uma história de um menino pescador,

Contada e gravada no seu pensamento.

Mais histórias viram a seu tempo,

Escrito pelo Jimmy o pescado

em homenagem em quem nesta terra trabalhou a todos pescadores escrevo estás minhas recordações. Fotos retiradas da net o meu muito obrigado. Jimmy o pescador

 

música: a minha
sinto-me: pescador ainda a crecer.
publicado por marinheirojimmy às 20:37
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

.mais sobre mim

.Arte de Marinheiro







.Maio 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. Estrela do Mar

. Os primeiros dias da safr...

. Rampa de descarga antiga ...

. Noite do Pescador

. Boémio

. Mar Branco

. Maria Zulmira

. Traineiras do tempo

. Mar

. Olho Vivo- gasoleiro

.arquivos

. Maio 2018

. Abril 2018

. Outubro 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Janeiro 2017

. Outubro 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Fevereiro 2016

. Dezembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Julho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Dezembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

Em destaque no SAPO Blogs
pub